segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Profeta Habacuque




Por Flávio Melo

          O profeta Habacuque é filosófico e parece ter sido um dos primeiros Israelitas a pensar no problema do mal da invasão. Seu oráculo parece pertencer à época que se seguiu a batalha de Carquêmis, em 605 a.c. Deus  anuncia, ao profeta, a invasão iminente dos Caldeus.
           Praticamente nada se sabe sobre a história pessoal de Habacuque, exceto pelo que pode ser investigado a partir do texto de seu livro. No entanto, Ele aparece também nos textos do livro do profeta Daniel, quando é ordenado por um anjo do Senhor, enquanto preparava alimento, a levar comida para Daniel (que se encontrava na cova dos leões, na Babilônia).Habacuque dizendo que não sabia onde ficava a cova dos leões, foi levado pelo anjo, Agarrado pelos cabelos, na velocidade dos ventos, para o tal lugar. Onde Habacuque entregou o alimento para Daniel eo anjo o colocou no mesmo local onde estava antes ( Dn14,33-39 ).  
         O livro de Habacuc é composto por cinco profecias sobre os Caldeus e uma canção de louvor a Deus. A ascensão do poder caldeu é datado de 612 a.C., supõe-se que ele era vivo naquela época, fazendo dele um contemporâneo de Jeremias e Sofonias. Fontes judaicas, porém, não o agrupam com estes dois profetas, que muitas vezes são colocados juntos, então é possível que ele fosse um pouco mais cedo do que eles. O último capítulo de seu livro é uma canção, que serviu de música no Templo de Salomão. É assumido na tradição judaica que ele era um membro da Tribo de Levi. Habacuque é único entre os profetas, em que abertamente questiona a Deus (1,3;1,13 ).
         Habacuque inicia o livro interrogando Deus e pedindo socorro, pois está cansado de ver seu país sofrendo opressão violenta, onde a lei enfraquece e o direito está distorcido ( 1,2-4 ). A resposta de Deus é a intervenção de um grande império, que deveria corrigir as demandas. Isso porém, não sastifaz o profeta, pois o invasor não vem para fazer justiça, mas para substituir uma opressão por outra ( 1,5-17 ).
        O profeta continuar a pedir uma resposta satisfatória de Deus. E a resposta Divina, definitiva, é essa, com uma proposta diferente , mas difícil, que exige paciência, mas que não falha: " o justo viverá por sua fidelidade " ( 2,4 ). Com isso os que sofrem violência são chamados a ser agentes na história, opondo-se firmimente aos que não são corretos. Esse projeto só se realizará, se esse grupo for fiel ao projeto de Deus; se estiver vigilante na realização da justiça.
        Descobrindo a fraqueza do opressor, que é a idolátria e a injustiça, é possível celebrar a sua queda e o surgimento de uma nova era e de um mundo novo. A solução que Deus propõe, salvará o justo, punindo o invasor. Então a terra ficará cheia do conhecimento de Deus.

Fonte:  Bíblia Sagrada edições pastoral e ave Maria; e Wikipédia a enciclopédia livre.



Nenhum comentário:

Postar um comentário